O Jeito Fábrica de Analistas de Colocar Gente no Mercado de TI

Carreira não é sorte, existe uma forma de se colocar no mercado, de acelerar esse processo. Hoje vamos falar sobre o nosso jeito de fazer isso acontecer.

Qual é o propósito do Fábrica de Analistas?

O Fábrica de Analistas tem um propósito muito simples, mas que considero nobre: ajudar pessoas a darem o seu próximo passo na carreira de Tecnologia da Informação, a tal da TI. Nele eu compartilho um método que  simples, validado e que já levou muita gente ao mercado, eu mesmo caminhei esse método, centenas de pessoas fizeram isso intuitivamente, ou errando e aprendendo.

Não há nada de muito novo aqui, mas no meio do mar de informação e conhecimento que o mundo se tornou, clareza e curadoria de informação viraram itens nobres para quem está em busca de evolução.

Neste momento, em Abril de 2022, o projeto Fábrica de Analistas ainda tem apenas algumas dezenas de alunos e um número um pouco menor em dezenas de resultados, mas estou certo de que vamos colocar algumas centenas de pessoas no mercado.

Os Pilares o Profissional que Entra no Mercado de TI

Vamos lá, quero falar das 3 coisas que todo profissional de TI vai ter que desenvolver pelo resto da sua vida. Esses são os pilares direcionadores do Fábrica de Analistas e toda aula fortalece um desses pilares de alguma forma:

  • Capacidade Técnica: A boa e tal hard-skill, saber fazer tecnicamente alguma coisa. Em teoria a faculdade seria o grande construtor das hard-skills necessárias para o mercado, na prática, as coisas caminham para direções diferentes. Não adianta fugir, esse é um pilar central do bom profissional, saber resolver problemas técnicos, afinal, quando você for contratado, espero que em um ou dois meses, o chamado caia na fila ou a task seja designada para você e você faça o que tem de fazer: resolva o problema.
  • Habilidades Comportamentais: Já trabalhou com alguém que não sabe ser contrariado? Com alguém que mal-educado, turrão? Com alguém que reclama de tudo e de todos? Que não sabe trabalhar em equipe? Pois é, digo que cada vez mais esse profissional vai ter problemas de empregabilidade. Estamos em uma era de muita integração e troca de informações. Um profissional que não seja capaz de desenvolver trabalho em equipe está fadado ao fracasso profissional, não importa o quão bom ele seja.
  • Rede de Relacionamento: Quem Indica (QI) mesmo! Blz, eu já fui indignado com esse tal de QI, também! Como assim esse cara que não estudou o tanto que eu estudei está no meu lugar nessa vaga? Pois é, chegou a hora de crescer: pessoas confiam em pessoas, eu não vou contratar um completo desconhecido se tenho alguém de confiança me indicando alguém que, segundo ele, tem a capacidade de fazer o trabalho. Você tem que entender essa dinâmica, jogar o jogo e construir a Rede de Relacionamento, faz parte dos pilares desse profissional que estamos buscando construir.

Acredito que, profissionalmente, os seus cursos, treinamentos, mentorias, consultorias tem que, de alguma forma, estar desenvolvendo um desses pontos.

Conhecendo o Método C.E.P.A

A partir do entendimento que existem 3 habilidades a serem desenvolvidas, fica a pergunta: quais são as habilidades lá dentro desses pilares que eu tenho que desenvolver?

É isso mesmo, você vai ter que escolher quais habilidades vai desenvolver até porque:

  • Você não é capaz de estudar todas as áreas da tecnologia e ser proficiente (conseguir resolver problemas da vida real);
  • Você não vai ser capaz de ser o mago das soft-skills, tendo todas as habilidades comportamentais disponíveis no mundo;
  • Você não vai ser capaz de manter um relacionamento frutífero com todo mundo do mercado.

O segredo é simples, mas pouca gente consegue implementar: o que faz você evoluir não é o SIM que você fala, na verdade é o monte de NÃO que você distribui ao longo das tuas escolhas.

Vou te explicar o C.E.P.A e o porque ele é tão poderoso:

  1. Conhecer: é preciso conhecer as possibilidades de carreira. Quais áreas, como são e quais são as características de cada possível carreia?
  2. Escolher: Lembra quando te falei sobre dizer não. Então é aqui que você sofre a dor da decisão, a dor de ter que escolher uma linha de atuação. Sem isso, acredite, vai ser mais difícil de você ser notado.
  3. Planejar: o tal do Planejamento de Carreira é uma das ações mais ignoradas pelos profissionais. Entenda uma coisa, todo mundo faz planejamento de carreira. O planejamento de alguns dura 1 semana, 1 dia, o de quem entra no mercado alguns meses, anos…
  4. Agir: Sem papo furado, sem ficar falando de autoconhecimento pelo resto da vida. Só entra no mercado quem age!

Ravy, porque isso funciona? Funciona porque quem contrata não está buscando o candidato mais estudioso, o que tem mais cursos, o que acredita que está preparado… O recrutador só quer saber de uma coisinha: você resolve o meu problema ou não? Em um curto espaço de tempo eu consigo monetizar o teu conhecimento ou não?

Chegar nesse lugar exige nãos e direcionamento, não é uma questão de esforço simples e puro!

 

Não quer caminhar sozinho?

Quer deixar de caminhar sozinho? Quer ter ajuda para dar o próximo passo rumo ao mercado de TI? Eu te convido a conhecer o Fábrica de Analistas, clica aqui embaixo e vem conhecer:

 

https://fabricadeanalistas.com.br/

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp